terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Love story..

Talvez eu não tenha dado o melhor de mim,
Talvez eu nem estivesse ali
caminhava por qualquer outro lugar
menos ali,
No começo era só um incômodo
Uma sensação nervosa que me irritava um pouco
mas logo estava imerso na imensa vontade de dar o fora
como na história do pardal
que foi cuidado com muita dedicação,
mas os cuidados foram em vão.
O Pardalzinho se foi,
a gaiola não conseguiu prender o espírito do pássaro
como o pardal, eu também me libertei arrebentado.
deixei parte de mim
me soltei e voei
talvez até com certa ingratidão
não me conhecia bem
e descobri que..
minhas asas batem mais rápido do qualquer avião
posando em pistas clandestinas no meio de qualquer plantação
são caminhos que não conheço
que me fizeram campeão
em um jogo diferente em cada situação
talvez seja tudo muito perverso
talvez seja tudo devassidão
uma paixão em cada estação,
sentirei falta dos cuidados que me foram dados
lembrarei com carinho do seu sorriso
e contarei sua história por onde passar,
será a mais bela história de amor
talvez a única de um amor perfeito
mas de um amor tão perfeito
que não dei conta de segurar
grande pra um egoísta qualquer suportar
egoísta sim, porque nunca aprendi a amar
quando aprender não haverão mais gaiolas
e então nos vamos voar...



Pardalzinho


O pardalzinho nasceu
Livre. Quebraram-lhe a asa.
Sacha lhe deu uma casa,
Água, comida e carinhos.
Foram cuidados em vão:
A casa era uma prisão,
O pardalzinho morreu.
O corpo Sacha enterrou
No jardim; a alma, essa voou
Para o céu dos passarinhos

De Manuel Bandeira

2 comentários:

Gabriela Domiciano disse...

ai q triste!!!
=/
d qquer forma, cuidando ou não dele, o pardalzinho morreria de qquer jeito.
Mas fazer o quê né, a vida pode ser cruel msm!!!!

bjos

Ricardo disse...

ele morreu porque tiraram lhe a liberdade !

Outro começo de noite

Outro começo de noite