domingo, 28 de março de 2010

Minha alma

Alma não tem cor
Minha alma não é branca
Minha alma não é negra
Minha cor nasceu comigo
Minha alma não

Construí cada coisa
Cada segredo
Construí cada coragem
Cada medo
Minha alma não tem cor
Cor não tem segredo e nem desejo
Meus sonhos eu que escolhi
Minhas virtudes não tem gen.
Eu que decidi
Que fiz assim
Em um processo sem fim
De sobressaltos e tombos
De conhecimentos e preconceitos
De construções e descontruções

Meus parentes eu que escolho
Meu sobrenome é só meu
Pertenço-me a eu mesmo
Sou um pouco de tudo
E muito do que me agrada
Minha alma não tem genética
Minha alma não tem brasões
Não tem sobrenome
Tem talvez um nome
Aquele que assino como sendo eu
Aquele que carrega uma historia
E nada mais

3 comentários:

Nane disse...

Nossa, muito bom. Passa uma sensação de liberdade.
Parabéns!
Seguirei teu blog.

Marco H. Strauss disse...

Bom, gostei! Parabéns.
Abraços

LACM disse...

Nossaaa...To boba aki... Serioo...
Vou seguir q isso...

Parabéns meww!

Outro começo de noite

Outro começo de noite